Apple comprando Tesla? Veja como tudo ficaria

Recentemente, duas interessantes publicações instigaram a comunidade de tecnologia em relação a uma possível compra da Tesla Motors, de Elon Musk, pela gigante Apple. A primeira publicação, compartilhada por David McClure, renomado criador da 500 Startups, foi a do empreendedor Mike Maples – I’m thinking Apple should buy Tesla right now”, enquanto a segunda tem viralizado na internet – “Apple will buy Tesla for 75b in 18 months”, escrita por Jason Calacanis, um dos principais investidores-anjo do mundo (sendo um dos primeiros a investir no Uber). Neste texto iremos destrinchar as duas publicações para falar um pouco das oportunidades e potencialidades vindas da aquisição, lembrando que as publicações não são oficiais de nenhuma das empresas, sendo apenas reflexões informais sobre um movimento de gigante magnitude.

Contextualização

As conspirações sobre uma possível compra se encontram em um momento bastante oportuno: Apple, agigante dos eletrônicos de consumo, se encontra em momento ápice em termos de valorização de mercado e preço de ações. Enquanto isso, a Tesla Motors, empreitada de Elon Musk (fundador do PayPal, vendido por US$ 1,5 bilhões ao eBay) voltada para a comercialização de incomparáveis bem sucedidos carros elétricos, passa por um momento de queda em suas ações – chegando a atingir recentemente um market cap aproximadamente de US$ 25 bilhões, US$10 bilhões a menos que o seu ápice, gerando um possível valuation para aquisição próximo ao valor dos lucros da Apple para somente um ano de vendas de smartphones, segundo Jason Calacanis.

Por que o momento é oportuno?

Os dois autores levantam alguns argumentos interessantes sobre o tamanho de oportunidade para a Apple, sendo as principais, em nossa opinião:

-O investimento da Tesla na construção da Gigafactory, a maior fábrica de baterias de lítio do mundo, representa um ganho de escala enorme da produção de baterias, baterias estas utilizadas em muitos dispositivos da Apple;
-Tim Cook tem se concentrado muito em questões relacionadas a energias renováveis, investindo massivamente, para alimentar o novo QG da Apple, em um grande campo de produção de energia solar, especialidade de Musk em outra companhia que encabeça, a Solarcity;
-Relatórios apontam que mais de 100 ex-funcionários da Apple hoje trabalham na Tesla;
-O consumo de displays em vidro, bem como os de bateria, são fundamentais para as duas empresas, havendo assim um potencial ganho em negociações de preço e de distribuição.
-O Tesla Model S é considerado o melhor carro já inventado, algo que a Apple pode se beneficiar em relacionar sua marca, como já faz com telefones, tablets e laptops.
-A longo prazo, com os carros se tornando “driverless”, área na qual a Apple já tem investido – bem como em carros elétricos (apesar de não possuir tanta especialidade quanto a Tesla),  os passageiros teriam tempo livre dentro de seus carros durante os trajetos, podendo se aproveitar de grandes displays nos quais pode-se consumir uma série de produtos da App Store, gerando um modelo de receita massivo e revolucionário para a empresa.

E qual seria o futuro das duas empresas após a aquisição?

-O console central do Model S se beneficiaria do ecossistema de aplicações Apple, criando um novo horizonte de potencialidades para desenvolvedores.
-Elon Musk mostrou que o carro é a próxima grande fronteira na integração entre hardware e software, deixando claro que as atuais corporações automotivas estão totalmente ultrapassadas em termos de inovação nessa área, o incrível hardware criado na Tesla sustentando um software user-friendly é um ganho que a Apple pode fornecer.
-Com o surgimento dos “self driving cars” (segundo os autores, dentro de 7 a 10 anos), a combinação entre Apple e Tesla podem produzir linhas inteiras de produção e despontar em uma revolução na indústria.
-A compra ia mostrar para o mundo que a abordagem Tesla no modo de produzir carros chegou para ficar, colocando fim às dúvidas quanto à sobrevivência desse modelo de negócios. O peso da Apple assumindo tal empreitada mostraria que o futuro é esse, inclusive forçando a indústria inteira a compreender que precisa responder e se reinventar.


E por último, o palpite mais sexy: já imaginou Elon Musk como CEO da Apple?

Esperamos  que tenham gostado do conteúdo, para nós também será um sonho ver a indústria sendo revolucionada por inovações disruptivas de tal maneira! Acompanhe nossos posts diários também na página do facebook! E confira nosso outro texto sobre as inovações de Elon Musk clicando aqui.

2 thoughts on “Apple comprando Tesla? Veja como tudo ficaria”

  1. Arthur says:

    Sou bastante fan do Elon Musk (tenho até um Google Alerts configurado pra acompanhar haha). Mas imagino que a Tesla muito provavelmente vá *seguir sozinha* por um bom tempo (no máximo recebendo algum investimento novo). Cara, em 18 meses o risco de negócio dela ainda vai ser exorbitante.

    1) RISCO! A Tesla ainda não se provou. Ela planeja crescimento em mercados difíceis (a China era um pilar da estratégia de crescimento e não tá rolando. Nem Apple nem Google sabem fazer negócio lá), está projetando se alavancar através de produtos inacreditavelmente novos (tipo bateria para casas), está construindo a maior fábrica do mundo (que é boa parte da Panasonic) e ainda nem lançou o carro que vai ser o “carro-chefe” da empresa!

    Nesse nível de risco não consigo imaginar aquisição nenhuma por ninguém hahah Se alguém quiser comprar, o mais prudente talvez seja adquirir uma participação módica na empresa: pra Tesla ter mais fôlego nesta batalha, pro investidor ter acesso aos números e pra poder influenciar nas decisões (bom, isso é bem normal do mercado hahah)

    O próprio autor fala que a Tesla perdeu $10 Bn em valor recentemente. Cara, os acionistas da Apple não iam querer tanta incerteza nos balanços da empresa, ia foder todos os indicadores. Imagina se der merda e ela tiver que fazer um write-off dos $75bn? hauhah … Adeus maior empresa do mundo em market cap.

    2) Uma aquisição limitaria a estratégia da Tesla (o que deixaria tudo ainda mais arriscado). Por exemplo, pode por em risco parcerias com o Google e com a Microsoft (Hologramas!), etc.

    Alás, o autor desconsiderou totalmente a influência do Google no deal. Me parece que o Google tem uma relação mais estreita com o Elon Musk do que com a Apple. Poxa, o Google tem ~10% da Space X – Isso é uma puta demonstração de confiança.

    O Google tem forte interesse em se diversificar (quase toda a receita é com publicidade) e de fazer sentido do seu portfolio de produtos (sério, a Tesla pode unir o Android, os mapas, os algorítimos de direção de carros, o Waze, a DARPA, tecnologia do Glass, internet por satélite Google+Space X, etc). Então é provável que se um dia realmente chegar uma oferta de aquisição da Apple, o Elon vai consultar o Google pra ver oq eles acham. ;D

    E sinceramente, acho que imaginar essa aquisição é um exercício de pensamento legal mas os argumentos a favor não são tão sólidos. Poxa, aposto que tem mais gente ex-Apple trabalhando no Google que na Tesla hahah

    Aliás, estão pipocando textos legais contrariando a ideia. Ex:

    APPLE WILL NOT BUY TESLA FOR $75 BILLION IN 18 MONTHS
    http://brunozzi.com/2015/02/16/apple-will-not-buy-tesla-for-75-billion-dollars-in-18-months/

    Vou preparar pipoca.

  2. Arthur says:

    Ah! Provavelmente a Apple não compraria a Tesla sem antes tentar ela por conta-própria:
    http://www.marketwatch.com/story/apple-well-positioned-to-build-its-own-car-2015-02-17

    A Tesla liberou as patentes mesmo … e a Apple tem $ 175 bn em CASH no banco hahuauha ;D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam